História do Movimento Feminista Negro

movimento-feminista-negro
Negra Diva

Movimento Feminista

O feminismo negro no Brasil tem o seu nascimento datado no início dos anos 1980. No entanto, ele foi aceito como um movimento legítimo somente anos após o surgimento da luta feminista no país.


Desde o século XIX, mulheres têm buscado ter voz ativa na vida pública, além de lutar pelo direito ao voto, tentando fazer parte da sociedade de maneira efetiva.

Essa luta foi originada em decorrência da legitimação social da superioridade do homem em relação à mulher, atitude que foi evidenciada durante a formação da Constituição da República de 1889 que impedia a participação de mulheres no âmbito político, por exemplo.

Leia Também:

1 – A IMPORTÂNCIA DE SE VESTIR BEM

2 – COMO FAZER TRANÇAS AFRO E GANHAR DINHEIRO SEM SAIR DE CASA!


Mesmo após a permissão ao voto em 1934, os direitos das mulheres negras sempre foi deixado de lado. Com isso, apenas em 1983, durante o II Encontro Feminista Latino-Americano, surgiu a organização de mulheres negras com o objetivo de ganhar visibilidade em meio à luta feminista.


A partir de então, houve o surgimento de diversos movimentos pautados no feminismo negro no Brasil, mostrando a importância dessa luta ante ao preconceito e racismo latentes na sociedade. Com isso, também houve a necessidade de incentivar o empoderamento desses grupos sociais.

Diferente do que muitas pessoas pensam, o empoderamento feminino negro ocorre de maneira coletiva, sendo necessário empoderar-se a si mesma e as outras mulheres que estão ao seu redor.


Assim, esse empoderamento que o feminismo negro brasileiro prega, é aquele capaz de causar mudanças à sociedade em relação aos seus pensamentos racistas, elitistas e sexistas.


Então, é importante que você entenda a importância do protagonismo negro nos dias atuais, pois este ainda sofre muitas influências dos costumes brancos no contexto estrutural, cultural e social.

Neste artigo, você vai conhecer tudo sobre o feminismo negro no Brasil, principalmente no que diz respeito à afirmação da mulher negra como peça-chave nas mudanças de paradigmas e na construção social e intelectual brasileira.

Importância do Feminismo Negro no Brasil

O feminismo negro nada mais é do que um movimento liderado por mulheres negras com o intuito de introduzir as suas pautas nas discussões sociais, tendo em vista a reivindicação de seus direitos.

No início do Movimento Negro no fim dos anos 1970, era evidente a existência da opressão dentro do próprio movimento em relação à falta de autonomia das mulheres.

Assim, elas eram impedidas de possuir posições de liderança ao lado dos homens. E, ao mesmo tempo, o Movimento Feminista tinha a sua vertente racista, privilegiando as questões das mulheres brancas.


Dessa forma, foi preciso criar um movimento que representasse as mulheres negras, a fim de empoderá-las, livrando-as da memória de subordinação que elas carregavam desde os tempos da escravidão.

Então, diversos conteúdos começaram a ser criados com o objetivo de conscientizar as mulheres negras sobre a importância das discussões de classe e raça, fazendo com que a luta transcendesse os problemas das mulheres da elite branca.


Além disso, é impossível escolher apenas uma luta. Assim, você precisa estar pronta para enfrentar o fato de ser mulher e de ser negra. O machismo e o racismo enraizados na sociedade fazem com que seja necessário que você se entenda como parte de ambas as minorias ao mesmo tempo, sendo essencial empoderar-se, a fim de se tornar ainda mais forte para essa luta.

Empoderamento do movimento Feminista Negro no Brasil

O empoderamento do movimento feminista negro é baseado em um grupo de ações que tem como objetivo libertar a mulher negra da opressão que ela sofre por parte da sociedade.

alisar-ou-não-negra-diva
Alisar ou Não?

Assim, é muito importante que você comece a adotar práticas que se diferenciem do padrão social branco e machista, como a liberdade da obrigação de alisar os cabelos, por exemplo.

Existe uma grande diferença entre poder alisar e ter que alisar para se sentir bonita ou parte de um determinado grupo. Com isso, você passa a ter uma escolha sobre o seu cabelo, livrando-se de padrões estéticos impostos.

Dessa forma, muitas mulheres estão conseguindo se ver fora do círculo de beleza que sempre foi restrito aos fios lisos e louros e à pele branca.
Assim, fica mais fácil entender que o empoderamento feminista negro é baseado na luta em prol da equidade.

Ou seja, ele não é uma luta de apenas uma mulher, mas sim, de várias mulheres negras que têm como objetivo fortalecer umas às outras, a fim de transformar a sociedade em lugar mais justo. Quando uma mulher empodera a si mesma, ela cria condições de empoderar outras à sua volta.

Além disso, é fundamental que você tenha orgulho das suas origens, no que diz respeito à religião negra e à cultura africana no geral, o que inclui o uso de adereços, como é o caso do Turbante.

Por exemplo, caso você tenha um negócio, é interessante fazer uso do seu espaço de trabalho para contratar mulheres, oferecendo boas condições trabalhistas e igualdade salarial.


Com isso, você é capaz de lutar contra as relações naturalizadas de privilégios destinados aos homens e às pessoas brancas no geral, visando aumentar a autonomia da mulher negra em relação as suas escolhas.


Comece com pequenas atitudes, como elogiar as mulheres negras que você conhece. Exalte sua beleza, defenda-as em situações de perigo e opressão, denuncie o racismo. O empoderamento feminista negro precisa transcender a estética, visando a liberdade social da mulher negra no Brasil.

Gostou desse artigo sobre o movimento feminista negro no Brasil? Ficou com alguma dúvida ou tem algo para acrescentar? É só deixar o seu comentário abaixo!

Next Post

A Importância de se vestir bem!

qui ago 22 , 2019
Como se vestir bem A sociedade patriarcal em que vivemos exclui negros desde o descobrimento do Brasil. Apesar da abolição da escravidão em 13 de maio de 1888, as oportunidades ofertadas a pessoas negras têm sido infinitamente menores do que para as brancas. Felizmente, temos vivenciado um movimento reverso que […]